domingo, dezembro 21, 2008

Questão

FUGUE - Kandinsky


CAI A NOITE.
TOMBAM CORPOS NA
INÉRCIA,
MORRO AOS POUCOS...
AUSENTO-ME DE TUDO
E DISTANCIO
DO QUE AO MUNDO
REPRESENTO.
DESPERTO!
MERGULHO NO VAZIO,
LIBERTA
NO ABANDONO
E VEJO
O SER EXPOSTO
AO AVESSO
QUE ME DESPI.
E DE ESPANTO,
POIS
RECORDO DO
QUE ESTOU
ADORMECIDA
NO TEMPO,
PERGUNTO:
O QUE SOU,
SENÃO
ESSA QUESTÃO
QUE ME
PERSEGUE?

ɱαгЇS

2 comentários:

LUCAS DE OLIVEIRA disse...

Você é fabulosa!
Eu simplesmente adorei esse poema!
De uma sensibilidade, simplicidade e beleza filosófica intrigante!

Maris, eu amo você, sabia?

ﮭﮭﯓɱαгЇSﮭﮭﯓ disse...

Obrigada pelo teu carinho sempre presente!!!
Adoro-te!
mil beijos