segunda-feira, janeiro 05, 2009

Da primeira vez que andei ao teu lado...





Molhada

A noite se espalha

em pranto

doce


Escuro ao longe, o canto

da farpa que

me fere,


seta

incendiando

os mais etéreos desejos...


E não me pergunte

que sensações são essas que

ensaio


Me esvaio nua...

correndo

ao leito, ora

evaporando ao teu lado.


Só me protegem

as palavras

que calo


E a mordaça

de estrelas

que libertas

nos beijos


...


Iluminou-se

a noite

brilho feito

do teu arco


flecha

do meu zelo


E ela se espalhou

em pranto

num canto


Doce...

Desaguando


E como desagua...

morrendo nos teus braços

mas sem medo...


Maris

2 comentários:

Alexandre Spinelli disse...

Maris, que lindo!
Senti daqui...
Parabéns...
Beijo

Sacharuk (Audiverimus) disse...

Adoro esse.

beijo